Cotidiano, Literatura

O rio da vida

Eu sempre tento entender a vida como um fluxo, como um rio. Ora estamos sozinhos, desbravando o caminho, ultrapassando barreiras e até mesmo forçando a passagem por lugares tidos como “impossíveis”. E há momentos em que outros rios se juntam a nós. E o volume das nossas águas cresce. Ficamos mais fortes, imponentes.

2018 foi assim para mim. O ano começou complicado, com a partida da minha sogra, com a desestabilização e ruptura que isso causa na família já debilitada por causa do processo da doença. Momento de seca no rio da minha vida, de água barrenta e pouca.

Então veio uma notícia que mudou tudo…

A verdadeira felicidade não pode ser descrita, é sentida. – Jean-Jacques Rousseau

Pouco após a triste partida da mãe da Estela, descobrimos que estávamos grávidos! Confesso que fiquei maravilhado, feliz mesmo, como nunca antes. Ainda mais porque, novamente, tive a certeza e comprovação que o Universo é perfeito:

Não é a nossa condição, mas a têmpera da nossa alma que nos torna felizes. – Voltaire

Aos poucos, o curso do meu rio foi se realinhando, a água foi novamente ficando cristalina. Agora as minhas águas nunca mais correriam sozinhas enquanto eu vivesse. Me tornei pai.

Lógico que durante toda a gravidez houve os percalços: enjoos, hormônios – ah, esses demônios químicos! –, a ansiedade em saber se tudo estava bem a cada exame, enxoval, medo de não saber se estávamos indo pelo caminho certo.

O rio atinge os seus objetivos porque aprendeu a contornar os obstáculos. – André Luís

E durante o período em que a barriga da Estela crescia, a minha carreira também evoluía. Lancei a minha nova saga, Vikings: Berserker, que foi um sucesso na Bienal do Livro de São Paulo. Confesso que me surpreendi com as vendas! Desse novo livro e também da Série Tempos de Sangue, que ainda segue com fôlego total.

Não fiz tantos eventos quanto em 2017, contudo, fiz muitos! Selecionei os melhores e em várias oportunidades estive com o fantástico Raphael Fernandes levando os meus projetos e os da Editora Draco para perto dos leitores.

Essa interação é ótima, riquíssima e muito gostosa de fazer.

Em 2019 quero continuar rodando esse Brasilzão!

Habemus Leonardo!

04 de outubro de 2018, um dia como nenhum outro! Meu filho nasceu. E a minha vida ganhou ainda mais significado.

Em paralelo a toda essa agitação profissional, nasceu o Léo. E esse acontecimento me deu mais vontade, mais fôlego para seguir adiante e fazer melhor. Para me consolidar como escritor, como criador de conteúdo, apesar de dormir ainda menos! Hahaha! E como isso me fez bem. Motivação é tudo.

Nessa loucura dos primeiros dias, das primeiras semanas do meu bebê, trabalhei forte junto com o ótimo Carlos Sekko e fizemos nascer Vikings: Noite em Valhala, o primeiro quadrinho com roteiro meu. Em 2017 foi lançada a HQ A Teia Escarlate, do universo da Tempos de Sangue, contudo o roteiro é do Rapha (ótimo por sinal) e os intertextos meus.

Curti demais esse novo estilo de contar histórias e com a edição do Raphael e do Erick Sama, Vikings: Noite em Valhala ficou, como diriam, massa! E pude sentir isso durante a CCXP18! Foram centenas de exemplares vendidos, muitos comentários nas redes sociais, artigos em diversos sites como o Omelete e muitos vídeos! Foi um momento para fechar o ano com chave de ouro.

2018 se finda.

Entretanto, o rio não pode ser contido. Suas águas precisam fluir!

E espero que nossos cursos se encontrem durante a jornada. Afinal como diria o provérbio africano: se quer ir rápido, vá sozinho. Se quer ir longe, vá em grupo.

Então vamos que vamos!

Até mais!

2 Comments

  1. É isso aí, Edu! Um ano que começou difícil de repente trouxe uma grande virada.E o rio da abundância fluiu e extrapolou suas margens.

    Meu desejo é que ele continue fluindo, para você e para nós, cada vez mais copioso e generoso. Vamos contar muitas histórias, vamos fazer História!

    Boas entradas para vocês!

    Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *