Você não é especial. É apenas gado!

Seu cargo, seu ouro, sua nobreza, nada disso me importa. Quero apenas a força do seu sangue e, ao final, sua carcaça será roída pelos vermes como qualquer outra.

– Não vou lhe dar o prazer de não sentir dor, lindinho. Não mesmo.

Colocou o ferro nas chamas e aguardou pacientemente a ponta avermelhar. Assoviava até, como se estivesse a esperar um pão assar no forno.

Enfiou a ponta incandescente entre as pernas do infeliz, queimando o tecido puído da calça, fazendo chiar a pele.

Ele acordou aos berros e, ao tentar se livrar do objeto que o torturava, queimou a mão.

Grungsdaaal!

– Eu não te compreendi – Stella aproximou o ouvido da boca dele. As lágrimas correndo fartas dos cantos dos olhos.

Astelasrr…

– Acho que você vai precisar reaprender a falar, lindinho – sorriu. – Se bem que não sei se no inferno alguém vai querer te escutar.

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email