Eduardo Kasse, muito prazer!
Escritor e roteirista

Sobre cães, autoconhecimento e gestão de negócios

Será que realmente sabemos como estão nossas posturas e energias? Deixemos os cães responderem.

Publicado em:

Por:

cachorrada

Sou um profissional que acredita que a gestão moderna precisa ser mais orgânica, menos rígida e mais dinâmica. Vivemos novos tempos, novos paradigmas e dilemas, então o desenvolvimento de soluções deve evoluir e encontrar novos caminhos. Não adianta percorrer as mesmas trilhas de sempre.

Uma das características essenciais é o fazer diferente e melhor que os outros players do mercado. Para nos destacarmos precisamos desenvolver a nossa identidade e, por meio dela, gerar relevância para os nossos clientes.

Assim sendo, eu como profissional criativo, produtor de conteúdos e escritor, costumo usar muito as vivências do dia a dia para melhorar o meu trabalho. E, claro, os cães são meus grandes coaches nessa jornada.

O que um simples passeio pode ensinar

Vamos analisar duas situações:

Primeira: Você sai com o seu cão, anda pelo bairro, cruza com pessoas, outros cães e carros e tudo acontece com paz, tranquilidade e satisfação. Você e o seu amigo retornam para casa felizes pelo bom passeio.

Segunda: Você sai pelo portão, seu cão late para os meninos correndo na rua, puxa a guia a ponto de engasgar, faz cocô onde não deve e ainda briga com o cão da vizinha. Vocês voltam desgastados, mais pilhados do que quando foram.

Considere que as variáveis são as mesmas: pessoa (você), cão, rua, vizinhança, guia etc.

Então, o que mudou? Por que tivemos duas situações tão distintas?

Temos a grande tendência de sempre culpar o cão. “Hoje ele estava atacado!”, “Nossa, ele não obedecia!”, “Eu faço tudo por ele e é assim que ele me retribui?”.

Confesse: você já teve pensamentos do tipo!

Sempre é mais fácil achar culpados do que assumir nossas próprias falhas. Entretanto, eu afirmo categoricamente, como estudioso e como “dono” de cães há muitos anos: a culpa NUNCA é do animal.

Como assim?

É isso mesmo. Se há um culpado na história, esse é você! Ok, culpado é um termo pesado. Vou reformular. Se há alguém que está influenciando o cão a agir de forma desequilibrada, esse é você. Melhorou?

Nós, como “ápice” da evolução na Terra (ah, como somos presunçosos!), usamos a nossa racionalidade para tudo. Usamos também os sentimentos, mas quando falamos de gestão, esses têm menor peso.

Por isso, vejo muitos profissionais que perderam a paixão, o tesão pelo que fazem, mas esse é tema para um próximo artigo.

Entretanto, há muito mais do que razão e sentimentos. E para esse artigo quero considerar as “energias”.

Como está a sua energia?

cachorrada2Voltemos aos dois cases dos passeios, o positivo e o negativo.

Primeiro, tente se lembrar do passeio gostoso e proveitoso. Você se recorda como estava a sua “energia”? Como foi o seu dia? O que aconteceu de legal? Como estava o seu estado de espírito?

Tenho certeza que você foi passear com o seu cão em um estado leve, agradável. Você aproveitou a interação com ele e curtiu o momento. Provavelmente estava calmo e assertivo.

Faça a mesma análise, considerando o passeio desgastante. Você devia estar irritado, ansioso, nervoso, insatisfeito ou com alguma outra característica negativa.

Ao contrário de nós, os cães são orientados pelas energias e sentem perfeitamente o nosso estado de espírito. Não dá para mentir para um cão. É impossível enganá-los. Fingir que está tudo bem é perda de tempo! Eles conseguem sentir nossa essência e reagem a ela.

Mas o que isso tem a ver com gestão de negócios?

Tudo!

Ao contrário da maioria das espécies, o homem passa boa parte da sua vida tentando fingir e aparentar o que não é (ou o que não está). Gastamos tempo com discursos, com aparências, com status e afins, ao invés de investirmos em posturas que realmente podem nos equilibrar.

Tentamos “enganar” os outros. Bem pior, aliás, tentamos nos enganar!

Quantas vezes ficamos reclamando de governos, mercados, concorrentes etc. enquanto nossos negócios vão ladeira abaixo? Contudo, ao mudar – verdadeiramente – a mentalidade, as nossas energias, as coisas parecem se estabilizar e deslanchar.

Viu como a mesma energia que pode mudar radicalmente um passeio com os cães também pode ser força motriz nos negócios?

O sucesso ou o fracasso da nossa carreira não depende somente de conhecimentos, habilidades e ações precisas. A forma como nos apresentamos (a nossa energia) também é essencial para fechar a equação.

E esse foi apenas um exemplo. Aliás, compartilhe outros conosco!

A natureza é sábia e pode nos ensinar muito. Basta estarmos receptivos para observar, absorver e aplicar.

Vamos juntos nessa?

Até mais!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Veja mais postagens do nosso Blog!